Bem-vindo! Hoje é domingo, 21 de julho de 2019

IV Mostra de casos clínicos em Farmácia Hospitalar

“Não existe nada mais gratificante do que trazer resultados para quem, de braços abertos, nos acolheu, mesmo que este local seja parte da nossa Urcamp, como é o caso do HU. Isso nos enriquece enquanto seres humanos, e nos proporciona a oportunidade de sermos melhores, também, enquanto profissionais”, Guilherme Bragança.

 

Quem escolhe uma graduação na área da saúde, já tem, em sua própria formação, o dom de cuidar do próximo. A profissão se torna parte dos ideais, e a Urcamp procura incentivar seus acadêmicos, também, neste sentido. Um exemplo dessa realidade acontece na disciplina de Estágio em Farmácia Hospitalar, e, na tarde de hoje, foi dia de encerramento das atividades, com a IV Mostra de Casos Clínicos, no Hospital Universitário da Instituição.

Três professores, doze alunos e um objetivo: estudar e vivenciar a história hospitalar dos pacientes. Esse é o foco trabalhado na disciplina, que teve encerramento na quinta-feira, com a apresentação na IV Mostra de Casos Clínicos em Farmácia. Coordenados pelos professores Guilherme Brangança, Ana Carolina Zago e Cíntia Ambrózio, os acadêmicos cumpriram a jornada de estágio optando por suas temáticas “Eles escolhem um paciente e acompanham toda a história clínica dele, de acordo com o tema que escolheram estudar no semestre. Temos casos de cuidados paliativos, dependência química, tuberculose e outras tantas que conquistam a atenção dos estudantes”, explica Ana Zago.

Como devem entregar um artigo científico no Estágio, a maioria dos acadêmicos opta por desenvolvê-lo aliado a esta prática e, em alguns casos, o tema está ligado ao Trabalho de Conclusão de Curso. “Eles acompanham a evolução do quadro de cada paciente que escolheram no Hospital Universitário da Urcamp, e a pesquisa está relacionada a diferentes áreas e profissionais da saúde. Dentro desse semestre, os alunos fazem diversos links em razão do cuidado individual, e, por consequência, acabam solucionando alguns casos”, frisou Guilherme Bragança, que é Coordenador do curso de Farmácia da Instituição.

Gleicimara Oliveira Trindade, optou por avaliar uma senhora de 62 anos, a qual, na apresentação, chamou de Maria – sempre preservando a identidade do paciente, mesmo no caso de estar entre colegas e professores. O trabalho resultou, ainda, em seu artigo científico, que tinha como tema o uso da Morfina. “Eu escolhi esse caso em razão dos problemas de saúde dela serem câncer na coluna e hipertensão, portanto, a Morfina fazia parte do quadro médico”, ponderou ao iniciar a sua apresentação na Mostra. Porém, antes do acadêmico descrever o que acompanhou, como os medicamentos prescritos, por exemplo, ele descreve o que significa a patologia a ser estudada.

 

Troca de aprendizagem

Quando chega o dia da Mostra e, por consequência, o encerramento do Estágio, alunos e professores confraternizam na sala de aula do Hospital Universitário da Urcamp. Porém, o que os coordenadores da atividade mais enfatizam, é a troca de experiências e aprendizagem. “É uma discussão muito rica entre docentes e discentes. Eles apresentam toda construção que fizeram durante o semestre, geralmente sobre casos incomuns, com entrevistas e relatos, e isso nos proporciona uma troca. Neste momento, todos somos aprendentes e isso contribui com a formação pessoal e profissional de todo grupo”.

“Não existe nada mais gratificante do que trazer resultados para quem, de braços abertos, nos acolheu, mesmo que este local seja parte da nossa Urcamp, como é o caso do HU. Isso nos enriquece enquanto seres humanos, e nos proporciona a oportunidade de sermos melhores, também, enquanto profissionais”, conclui Guilherme ao explicar que nesta disciplina os acadêmicos têm que apontar pelo menos uma fragilidade e, ao apresentá-la, contribuir como forma de melhoria a ser oferecida ao Hospital.

Para o próximo semestre, o coordenador do curso de Farmácia já deixa o spoiler “teremos novidades, e o máximo que posso contar é que promete ser o primeiro na metade Sul”.